ARTIGOS


Trazendo para a minha vivência, senti muitas vezes o desejo de fazer muito mais para que o ensino e a aprendizagem caminhassem juntos na escola, mas ao refletir sobre os cidadãos e os seus direitos a uma Educação de qualidade, deparei-me com diferentes conceitos e linhas de pensamento. Contudo, me identifiquei com a cientista social Maria Helena Guimarães de Castro (2008, p. 69), embora “teoricamente, toda política pública deve promover o bem comum e o desenvolvimento das pessoas, considerando os direitos que detêm”.

Neste sentido, existe uma definição clássica empregada no campo da Ciência Política centralizada no Estado, como sendo o único atuante no que se refere às políticas públicas, definindo-as da seguinte maneira: “Políticas públicas são entendidas como o “Estado em ação” (Gobert, Muller apud Castro, 2008, p. 66); é o Estado implantando um projeto de governo, através de programas, de ações voltadas para setores específicos da sociedade.”  

Seguindo a mesma linha de raciocínio conceitual, (Azevedo apud Cardoso; Júnior, 2006, p. 32): “política pública é tudo que um governo faz e deixa de fazer, com todos os impactos de suas ações e omissões.” Sendo assim, o Governo não pode se omitir, pois ao deixar de priorizar as necessidades, estará obviamente excluindo os cidadãos, marginalizando-os. Um país que não valoriza o seu povo por igual, jamais chegará a ser uma verdadeira nação.

Políticas Públicas são as iniciativas desenvolvidas pelo Estado para concretizar as prescrições constitucionais sobre as necessidades da sociedade em termos de classificação e redistribuição das riquezas, dos bens e serviços sociais no âmbito federal, estadual e municipal. São políticas de economia, educação, saúde, meio ambiente, ciência e tecnologia, trabalho, etc.



Para Cunha e Cunha,


“As políticas públicas têm sido criadas como resposta do Estado às demandas que emergem da sociedade e do seu próprio interior, sendo a expressão do compromisso público de atuação numa determinada área a longo prazo” (CUNHA & CUNHA, 2002, p.12).


Ao se analisar a cidadania de modo mais amplo, no sentido definido por Demo (apud FIGUEIREDO, 2003, p. 69), que institui como “componentes cruciais da cidadania: educação, organização política, identidade cultural, informação e comunicação e, acima de tudo, processo emancipatório”, percebemos que apesar de termos evoluído, ainda há um longo caminho para a conquista da cidadania no Brasil.


Como este trabalho está centrado nas políticas públicas na educação, citarei a seguir sobre a implementação de Políticas públicas e programas a partir do Governo Federal.


É neste contexto que neste espaço serão postados todos os programas e projetos do Governo que beneficia a qualidade do processo educativo.
 
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
 
CASTRO, Maria Helena Guimarães. Políticas Públicas: conceitos e conexões com a realidade brasileira. In: CANELA, Guilherme (org.). Políticas Públicas Sociais e os Desafios para o Jornalismo. São Paulo, SP: Cortez, 2008.

CUNHA, E. de P.; CUNHA, E. S. M.. Políticas públicas e sociais. In:CARVALHO, A.; SALES, F. (Orgs.) Políticas públicas. Belo Horizonte:Editora UFMG, 2002.

FIGUEIREDO, Fábio Ferreira. O papel da educação para o desenvolvimento, a mobilidade social e a cidadania. In: Revista Unicsul. Ano VIII, n. 10. São Paulo, SP:  2003.

Música também é arte. É cultura

Watch live streaming video from voices at livestream.com

Étumos Anúncios


"Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar as partes isoladas."

(Séneca)









Follow by Email

Links

Labels

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores no Twitter